Investidores - ENGIE Brasil

Glossário

#ABCDEFGHIJKLMNOPQRSTUVWXYZ

Ambiente de Contratação Livre (ACL)

Segmento do mercado no qual se realizam as operações de compra e venda de energia elétrica, objeto de contratos bilaterais livremente negociados entre as partes.

Ambiente de Contratação Regulada (ACR)

Segmento do mercado no qual se realizam as operações de compra e venda de energia elétrica entre agentes vendedores e agentes de distribuição, através de leilões organizados pelo governo.

Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel)

Autarquia em regime especial vinculada ao Ministério de Minas e Energia (MME), criada para regular o setor elétrico brasileiro, por meio da Lei nº 9.427/1996 e do Decreto nº 2.335/1997

Área de Preservação Permanente (APP)

Área de Preservação Permanente é uma área protegida, coberta ou não por vegetação nativa, com a função ambiental de preservar os recursos hídricos, a paisagem, a estabilidade geológica e a biodiversidade, facilitar o fluxo gênico de fauna e flora, proteger o solo e assegurar o bem-estar das populações humanas, conforme estabelecido pela Lei 12.651, de 25 de maio de 2012.

Autoprodutor

É a pessoa física ou jurídica ou consórcio de empresas que produz, individualmente ou em consórcio, energia elétrica para uso próprio.

Biomassa

Fonte orgânica que é usada para produzir energia a ser convertida em eletricidade, combustível ou calor. São exemplos de biomassa utilizada na geração de eletricidade: bagaço de cana-de-açúcar, casca de arroz, resíduos de madeira e outros.

Caldeira

Equipamento estático para geração de vapor. A caldeira é dividida basicamente em dois ambientes: um é formado por uma rede de tubos ou serpentinas onde circula a água desmineralizada que se transformará no vapor; o outro é a região onde se processa a queima do combustível e circulam os gases quentes provenientes dessa combustão. Uma caldeira pode queimar diversos tipos de combustíveis, como o carvão mineral, óleo diesel, óleo pesado, gás natural, madeira, casca de arroz, bagaço de cana-de-açúcar, etc. Numa usina termelétrica, o vapor gerado na caldeira segue para a turbina (para transformar a energia térmica em cinética), que é conectada ao rotor de um gerador de energia elétrica.

Capacidade Instalada

É a potência elétrica máxima disponível pelo gerador elétrico na unidade geradora ou no conjunto das unidades geradoras que compõem uma usina. A capacidade instalada geralmente é expressa em MW e é definida sob condições padrões de temperatura, pressão e umidade relativa do ar.

Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE)

Instituída pela Lei nº 10.848/2004 e criada pelo Decreto nº 5.177/04, absorveu as funções, estruturas organizacionais e operacionais do Mercado Atacadista de Energia Elétrica (MAE). Entre suas principais obrigações estão: a apuração do Preço de Liquidação de Diferenças (PLD), utilizado para valorar as transações realizadas no mercado de curto prazo; a realização da contabilização dos montantes de energia elétrica comercializados; a liquidação financeira dos valores decorrentes das operações de compra e venda de energia elétrica realizadas no mercado de curto prazo; e a realização de leilões de compra e venda de energia no Ambiente de Contratação (ACR), por delegação da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

Conta de Desenvolvimento Energético (CDE)

A CDE foi instituída pela Lei n.º 10.438, de 26 de abril de 2002, como sucessora da Conta de Consumo de Combustíveis (CCC) no que se refere à subvenção dos custos de combustíveis para as usinas de geração termelétrica que utilizam carvão mineral nacional. Foi criada para apoiar o desenvolvimento da produção de energia, inclusive por meio de fontes alternativas, e a universalização dos serviços de energia em todo o Brasil.

Câmara de Gestão da Crise de Energia Elétrica (CGE)

A CGE foi criada pelo Governo Federal para administrar a crise de energia elétrica surgida no ano de 2001.

Central Termelétrica

As centrais termelétricas caracterizam-se por produzir energia elétrica a partir da energia térmica. Os combustíveis mais utilizados para, por meio de turbinas, movimentar os geradores das usinas termelétricas são os derivados de petróleo (óleo diesel, óleo combustível e resíduos asfálticos), o carvão mineral, o gás natural e os combustíveis nucleares. Em processos de cogeração (tecnologia que visa maior eficiência da geração termelétrica, com aproveitamento do vapor para processos industriais), é comum a utilização de combustíveis a biomassa, como bagaço de cana-de-açúcar, casca de arroz, resíduos de madeira e outros.

Comercialização

O comercializador é responsável pela compra, importação, exportação e venda de energia elétrica, através de contratos bilaterais em que os preços são livremente negociados entre as partes.

Comercializadoras

Empresas autorizadas pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) a atuar como agentes comercializadores de energia elétrica no âmbito da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE).

Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico (CMSE)

Órgão criado no âmbito do Ministério de Minas e Energia (MME), sob sua coordenação direta, com a função de acompanhar e avaliar a continuidade e a segurança do suprimento de energia elétrica em todo o território nacional. Suas principais atribuições incluem: acompanhar o desenvolvimento das atividades de geração, transmissão, distribuição, comercialização, importação e exportação de energia elétrica; avaliar as condições de abastecimento e atendimento; realizar periodicamente a análise integrada de segurança de abastecimento e atendimento; identificar dificuldades e obstáculos que afetem a regularidade e a segurança de abastecimento e expansão do setor; e elaborar propostas para ajustes e ações preventivas que possam restaurar a segurança no abastecimento e atendimento de energia elétrica.

Conselho Nacional de Política Energética (CNPE)

Órgão interministerial de assessoramento à Presidência da República, tendo como principais atribuições formular políticas e diretrizes de energia e assegurar o suprimento de energia às áreas mais remotas ou de difícil acesso no território nacional. É também responsável por revisar periodicamente as matrizes energéticas aplicadas às diversas regiões do país, estabelecer diretrizes para programas específicos, como os de uso do gás natural, de diferentes biomassas, como a cana de açúcar para aproveitamento do etanol, do carvão e da energia termonuclear, além de estabelecer diretrizes para importação e exportação de petróleo e gás natural.

Consumidor Cativo

Consumidor que compra a energia da distribuidora que atende a sua área geográfica.

Consumidor Livre ou Cliente Livre

Consumidor que pode escolher de qual empresa vai comprar a energia elétrica. Para ser consumidor livre é necessário ter demanda igual ou superior a 3MW. Se antes de julho de 1995 o consumidor já estava conectado à rede, é necessário também ter tensão igual ou superior a 69 kV. Outro grupo de consumidores livres, com demanda maior ou igual a 500 kW atendidos em qualquer tensão, também podem escolher seu fornecedor, desde que a energia seja oriunda das fontes incentivadas: solar, eólica, biomassa e pequenas centrais hidrelétricas (PCHs).

Consumidores Industriais

Indústrias atendidas por fornecedores de energia elétrica na qualidade de Consumidores Livres.

Contrato de Curto Prazo

Contrato com prazo de validade inferior a 6 (seis) meses.

Contrato de Longo Prazo

Contrato com prazo de validade igual ou superior a 6 (seis) meses.

Contratos Bilaterais

Contratos de compra e venda de energia livremente negociados entre Geradoras e Distribuidoras para entrega a partir de 2003, quando a energia contratada por meio de Contratos Iniciais começou a ser reduzida em 25% ao ano, de acordo com a lei 10.848/2004, conhecida como Lei do Setor Elétrico, além dos contratos firmados entre as Geradoras e Clientes Livres e Geradoras e Comercializadoras.

Contratos de Concessão

Contratos de concessão de uso de bem público para geração de energia elétrica, celebrados entre a ENGIE ou, conforme o caso, uma de suas Controladas e o Poder Concedente.

Distribuição

É a atividade de distribuir energia elétrica, cuja regulação é feita pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) e, assim como a transmissão, deve conceder livre acesso a todos os agentes do mercado.

Distribuidoras

Concessionárias de serviços públicos de distribuição de energia elétrica.

Empresa de Geração

Pessoa jurídica que detenha concessão ou autorização para a exploração dos serviços públicos de geração de energia elétrica.

Empresa de Pesquisa Energética (EPE)

Instituída pela Lei nº 10.847/2004 e criada pelo Decreto nº 5.184/2004, a EPE é uma empresa vinculada ao Ministério de Minas e Energia (MME), cuja finalidade é prestar serviços na área de estudos e pesquisas destinadas a subsidiar o planejamento do setor energético. Suas principais atribuições incluem a realização de estudos e projeções da matriz energética brasileira, execução de estudos que propiciem o planejamento integrado de recursos energéticos, desenvolvimento de estudos que propiciem o planejamento de expansão da geração e da transmissão de energia elétrica de curto, médio e longo prazo, realização de análises de viabilidade técnico-econômica e socioambiental de usinas, bem como a obtenção da licença ambiental prévia para aproveitamentos hidrelétricos e de transmissão de energia elétrica.

Empresa de Transmissão

Pessoa jurídica que detenha concessão para a exploração dos serviços públicos de transmissão de energia elétrica.

Energia Assegurada

A Energia Assegurada é a Garantia Física da usina hidrelétrica, que constitui seu limite de contratação. Considera-se Energia Assegurada de uma usina hidrelétrica a fração a ela alocada da Energia Assegurada global do sistema. A alocação da Energia Assegurada e suas revisões são definidas pelo Ministério de Minas e Energia (MME), com base em metodologia aplicada pelo Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS)/MME, conforme disposto nos Decretos 5.163/2004 e 2.655/1998. O termo Energia Assegurada é utilizado em relação à quantidade máxima de energia que pode ser utilizada para comercialização, tanto pelas usinas termelétricas quanto pelas usinas hidrelétricas. Vale dizer, portanto, que se assemelha ao conceito de Garantia Física.

Energia Natural Afluente (ENA)

É a energia que se obtém quando a vazão natural de um afluente (linha de água que termina em um rio principal) é turbinada nas usinas situadas rio abaixo, a partir de um ponto de observação.

Energia Nova e Energia Velha

Energia Nova é a energia produzida por usinas recém-construídas, cujos investimentos ainda não foram amortizados e que, por essa razão, é mais cara que a Energia Velha.
Energia velha é a energia produzida pelas hidrelétricas estatais cujos investimentos já foram parcialmente ou totalmente amortizados. Por causa disso, o preço da energia produzida por essas usinas é mais baixo do que o das usinas construídas recentemente e que ainda não recuperaram o investimento feito.

Energia Eólica

Energia gerada a partir da força dos ventos. A energia cinética do vento é transformada, por uma turbina, em energia mecânica que, por meio de um gerador conectado à turbina, se transforma em energia elétrica.

Energia de Ponta

É a energia elétrica fornecida nos horários de maior consumo: entre 15 e 19 horas.

Energia Solar

Energia produzida por meio do aproveitamento da luz do sol. Existem dois aproveitamentos: o térmico e o fotovoltaico. No aproveitamento térmico, a luz do sol é usada apenas como fonte de calor para sistemas de aquecimento. No fotovoltaico, a luz do sol se transforma em energia elétrica.

Fator de Ajuste da Energia Assegurada (GSF – Generation Scaling Factor)

Corresponde à razão entre os que as usinas hidrelétricas geraram pelo que deveriam ter gerado. Assim, deriva de um índice entre o montante total de energia hidrelétrica efetivamente produzida por todos os participantes do Mecanismo de Realocação de Energia (MRE) e respectivas energias asseguradas. Um GSF inferior a 1 (um) significa que a produção da geração hidrelétrica possível será menor do que a energia assegurada alocada, principalmente em decorrência de escassez de chuvas, assim expondo as empresas de energia hidrelétrica ao mercado de curto prazo.

Fundação de Meio Ambiente - Fatma

Órgão ambiental estadual do Governo de Santa Catarina. Com sede administrativa em Florianópolis, tem como missão garantir a preservação dos recursos naturais do Estado de Santa Catarina.

Fundação Estadual de Proteção Ambiental - Fepam

Instituição responsável pelo licenciamento ambiental no Rio Grande do Sul, vinculada à Secretaria Estadual do Meio Ambiente. É um dos órgãos executivos do Sistema Estadual de Proteção Ambiental, que prevê a ação integrada, em articulação com os municípios, dos órgãos ambientais do Estado do Rio Grande do Sul.

Garantia Física

A Garantia Física de um empreendimento de geração, definida pelo Ministério de Minas e Energia (MME) e constante do contrato de concessão ou ato de autorização, corresponde à quantidade máxima de energia que pode ser utilizada para comercialização por meio de contratos, conforme disposto no Decreto 5.163/2004.

Geração

Atividade aberta à competição, onde todas as empresas geradoras de energia têm garantia de livre acesso da energia gerada aos sistemas de transporte (transmissão e distribuição) e podem comercializá-la energia livremente, tanto para empresas distribuidoras e comercializadoras como para consumidores livres.

Gerador

Equipamento rotativo responsável pela conversão da energia mecânica de rotação da turbina em energia elétrica. O gerador elétrico também é formado por uma parte móvel composta pelo eixo e conjunto de espiras ou enrolamento móvel, e uma parte fixa formada por um conjunto de espiras ou enrolamento, fixadas à carcaça do gerador. A energia mecânica proveniente da turbina é utilizada para girar o rotor, que induz tensão, medida em volts, nos terminais dos enrolamentos, que, por meio de transformadores e linhas de transmissão, conectados às cargas ou consumidores de energia elétrica.

Geradoras

Companhias concessionárias ou autorizadas a utilizar bem público para geração de energia ou prestar serviços públicos de geração de energia elétrica.

Gestão dos Ativos de Geração (GAG)

Parcela da Receita Anual de Geração (RAG) relativa aos custos regulatórios de operação, manutenção, administração, remuneração e amortização, bem como aos investimentos em melhorias da usina hidrelétrica.

Gigawatt (GW)

Unidade equivalente a um bilhão de watts.

Gigawatt-hora (GWh)

Unidade equivalente a um gigawatt de energia elétrica fornecida ou solicitada por uma hora ou um bilhão de watts-horas.

Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Renováveis (Ibama)

Autarquia federal vinculada ao Ministério do Meio Ambiente (MMA), responsável pela execução da política nacional de meio ambiente e o desenvolvimento de atividades para a preservação e conservação do patrimônio natural, exercendo o controle e a fiscalização sobre o uso dos recursos naturais.

ISO 9001

Norma internacional para diretrizes, orientações e certificação de sistemas de gestão da qualidade de produtos e serviços, visando à melhoria contínua dos procedimentos internos das empresas. A versão brasileira para esta norma é a ABNT NBR ISO 9001:2000.

ISO 14001

Norma Internacional para Sistemas de Gestão Ambiental, compatibilizando a gestão ambiental e a prevenção da poluição com o desempenho socioeconômico das empresas. É uma norma que se presta à certificação, atividade que envolve a análise e avaliação periódicas do sistema de gestão ambiental, buscando identificar oportunidades de melhoria, meios e recursos para adotá-las. A versão brasileira para esta norma é a ABNT NBR ISO 14001:2004.

Kilovolt ou Quilovolt (kV)

Unidade equivalente a mil volts.

Kilowatt ou Quilowatt (kW)

Unidade equivalente a mil watts.

Kilowatt-hora ou Quilowatt-hora (kWh)

Unidade equivalente a um kilowatt de energia elétrica fornecida ou solicitada por hora, ou mil watts-hora.

Megawatt (MW)

Unidade equivalente a um milhão de watts.

Megawatt-hora (MWh)

Unidade equivalente a um megawatt de energia elétrica fornecida ou solicitada por hora, ou um milhão de watts-hora.

Mercado Atacadista de Energia Elétrica (MAE)

Ambiente organizado e regido por regras claramente estabelecidas, no qual se processaram a compra e venda de energia entre seus participantes, até a promulgação da lei 10.848/2004 - conhecida como Lei do Novo Modelo do Setor Elétrico ou Lei do Setor Elétrico -, tanto através de contratos bilaterais como no regime de curto prazo, tendo como limites os sistemas interligados do país.

Mercado de Curto Prazo (spot)

Segmento do mercado de compra e venda de energia onde se negociam sobras de energia dos contratos bilaterais e/ou a energia não contratada bilateralmente.

Mecanismo de Realocação de Energia (MRE)

Tem a função de distribuir o risco hidrológico entre os empreendimentos de geração hidrelétrica, na medida em que cada geradora tem assegurado o pagamento pelo montante de sua energia assegurada e contratada, enquanto os membros do MRE em conjunto forem capazes de satisfazer os níveis de energia assegurada pelo Mecanismo.

Ministério de Minas e Energia (MME)

Órgão do Governo Federal responsável pela condução das políticas energéticas do país. Suas principais obrigações incluem a formulação e implantação de políticas para o setor energético, de acordo com as diretrizes definidas pelo Conselho Nacional de Politica Energética (CNPE). O MME é responsável por estabelecer o planejamento do setor energético nacional, monitorar a segurança do suprimento do setor elétrico brasileiro e definir ações preventivas para restauração da segurança de suprimento no caso de desequilíbrios conjunturais entre oferta e demanda de energia.

Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS)

Entidade civil de direito privado, sem fins lucrativos, responsável pela coordenação e controle da operação das instalações de geração e transmissão de energia elétrica no Sistema Interligado Nacional (SIN). O ONS trabalha sob a fiscalização e regulação da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

Paradas Programadas

São paradas de equipamentos ou unidades geradoras previstas nos planos de manutenção preventiva do agente responsável pela sua operação. Todo e qualquer equipamento mecânico ou elétrico requer manutenção, com o objetivo de atingir uma condição operacional ótima.

Pequenas Centrais Hidrelétricas (PCHs)

Usinas com capacidade instalada entre 1 e 30 MW, que atendam aos requisitos propostos na Resolução da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) número 652, de 9 de dezembro de 2003.

Precipitador eletrostático

Equipamento eletromecânico utilizado para reter material particulado presente em gases. No caso das usinas termelétricas, o precipitador eletrostático retém as cinzas provenientes da combustão do carvão mineral ou óleo combustível, arrastando-os juntamente com os gases de combustão. É um equipamento indispensável para o controle das emissões de material particulado, assim contribuindo para preservar o meio ambiente. Trata-se de um filtro que retém as cinzas através da criação de um campo eletrostático produzido no seu interior. Ao passar por este campo elétrico, a cinza se ioniza e fica retida em placas metálicas, o que impede a sua chegada até a chaminé.

Preço de Liquidação de Diferenças (PLD)

Representa o preço ao qual são liquidadas as posições líquidas dos agentes que comercializam energia no mercado de atacado. Seu valor é determinado semanalmente para cada patamar de carga, limitado por preço máximo e mínimo, vigentes para cada período de apuração e submercado.

Produtor Independente

Pessoa jurídica ou empresas reunidas que recebem concessão ou autorização do Governo para produzir energia elétrica destinada à comercialização.

Programa de Incentivo às Fontes Alternativas de Energia Elétrica (Proinfa)

Programa instituído pela Lei nº 10.438/2002 e coordenado pelo Ministério de Minas e Energia (MME), com o objetivo de aumentar a participação da energia elétrica produzida por empreendimentos de Produtores Independentes Autônomos, concebidos com base em fontes eólica, biomassa e pequenas centrais hidrelétricas (PCH), no Sistema Elétrico Interligado Nacional.

Protocolo de Quioto

Acordo internacional que entrou em vigor em fevereiro de 2005, que busca limitar as emissões mundiais de gases que contribuem para o efeito estufa, assim contribuindo para a redução do aquecimento global e, consequentemente, reduzir as mudanças climáticas.

Receita Anual de Geração (RAG)

Valor em Reais por ano (R$/ano) a que a concessionária terá direito pela disponibilização da garantia física de energia e de potência da usina hidrelétrica em regime de cotas, composto do GAG – Custo de gestão dos ativos de geração e da parcela de Retorno da bonificação pela outorga resultantes do leilão (RBO), além dos encargos e tributos, inclusive os encargos de conexão e uso dos sistemas de transmissão ou de distribuição de responsabilidade da concessionária.

Redução Certificada de Emissões (RCE)

Unidade de redução de gases causadores do efeito estufa, criada e certificada conforme as disposições do Protocolo de Kyoto para o Mecanismo de Desenvolvimento Limpo (MDL).

Rede Básica

Instalações pertencentes ao Sistema Interligado Nacional (SIN), identificadas segundo regras e condições estabelecidas pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

Rede de Operação

União da rede básica com a rede complementar e as usinas integradas, em que o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) exerce a coordenação, a supervisão e o controle da operação do Sistema Interligado Nacional (SIN).

Reserva Global de Reversão (RGR)

Instituída pela Lei n. º 5.655, de 20 de maio de 1971, com a finalidade de prover fundos para o pagamento de eventuais indenizações às empresas do setor elétrico em determinados casos de revogação ou encampação das respectivas concessões. Nos últimos anos, a RGR tem sido usada principalmente para financiar projetos de geração e distribuição.

Risco hidrológico

Risco causado pela falta de chuvas e escassez de água nos reservatórios em diferentes regiões, o que vem causando uma gradual redução da capacidade de geração de energia hidrelétrica - situação em que as geradoras são obrigadas a comprar energia no mercado de curto prazo para compensar a produção menor, decorrente da falta de água. A energia no mercado de curto prazo é adquirida com base no Preço de Liquidação das Diferenças (PLD), geralmente a custos mais elevados que os contratados. Essa situação tem gerado disputas judiciais. Desde 2015, muitos operadores têm entrado com liminares para evitar o pagamento de valores praticados no mercado de energia de curto prazo.

Sistema Interligado Nacional (SIN)

Sistema composto pela Rede Básica e demais instalações de transmissão que interliga as unidades de geração e distribuição nos sistemas das regiões Sul, Sudeste, Centro-Oeste e Nordeste do Brasil.

Transmissão

As linhas de transmissão da rede básica são vias de uso aberto, podendo ser utilizadas por qualquer agente, mediante o pagamento de uma remuneração aos proprietários das linhas, regulada pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

Transmissoras

Concessionárias de serviços públicos de transmissão de energia elétrica que atuam no mercado brasileiro de energia elétrica, entre elas a ENGIE Brasil Energia.

Turbina

Equipamento rotativo responsável pela conversão de uma forma de energia em outra. As turbinas térmicas a vapor ou gás transformam a energia térmica do vapor ou gás em trabalho mecânico. As turbinas hidráulicas, mais utilizadas no Brasil pelos recursos hídricos que possui o país, convertem a energia potencial da água em energia mecânica de rotação. A turbina térmica é constituída de duas partes principais: o conjunto de pás móveis (rotativas) no eixo da turbina, intercalado de pás fixas, presas ao conjunto da carcaça da turbina, que redireciona o vapor ou gás à medida que se expandem na turbina. O gás aquecido ou o vapor, ao entrar na turbina em alta temperatura e pressão, encontram resistência das pás móveis, fazendo-as girar. Esse movimento rotativo fará o gerador converter a energia mecânica em energia elétrica. As turbinas hidráulicas são constituídas de um conjunto único de pás móveis e fixas.

Tarifa de Uso do Sistema de Distribuição (TUSD)

Tarifa paga pelos usuários (Geradoras e Consumidores Livres) às Distribuidoras, pelo uso de sua rede de distribuição (de tensão inferior a 230kv).

Tarifa de Uso do Sistema de Transmissão (TUST)

Tarifa paga pelos usuários (Geradoras e Consumidores Livres) às Transmissoras, pelo uso de sua rede de transmissão (de tensão superior a 230Kv).

Usina Hidrelétrica (UHE) e Usina Termelétrica (UTE)

Usina de geração de energia elétrica, composta por uma ou mais turbinas, hidrelétricas ou térmicas (a gás ou vapor) e hidrelétricas, acopladas a geradores.

Valor Anual de Referência

Corresponde à média ponderada dos custos de aquisição de energia elétrica de novos empreendimentos nos leilões da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) para o Ambiente de Contratação Regulada (ACR) com 3 e 5 anos de antecedência, calculado para o conjunto de todas as Distribuidoras do País.

Volt (V)

Unidade básica de tensão de energia elétrica.

Watt (W)

Unidade básica de potência de energia elétrica.

Watt-hora (Wh)

Quantidade de energia utilizada para alimentar uma carga com potência de 1 watt (W) pelo período de uma hora.