A ENGIE anuncia o lançamento do seu canal digital de energia. Batizada de Energy Place, a plataforma inovadora foi desenvolvida para simplificar a negociação e gestão de contratos de energia no Mercado Livre, e representa mais um passo da empresa na sua jornada para a digitalização, logo após o recente lançamento do E-conomiza, em julho, plataforma dedicada para o segmento varejista que agora se integra ao Energy Place.

O Energy Place nasce como uma plataforma digital online que une a ENGIE à clientes, gestoras, consultorias e quem ainda não é cliente da empresa. Além de um e-commerce de energia, a ferramenta foi desenvolvida para prover informações, histórico de consumo e funcionar como um canal de relacionamento e atendimento 100% digital.

“O objetivo é de proporcionar mais conveniência e facilidade na compra e gestão dos contratos de energia, com toda a confiança e segurança da maior geradora privada de eletricidade do Brasil e maior comercializadora no Mercado Livre de Energia”, destaca o diretor de comercialização de Energia da ENGIE Brasil, Gabriel Mann dos Santos.

Por meio de cadastro simples na ferramenta, agentes do Mercado Livre como geradores, comercializadores, consumidores livres e especiais podem ter acesso ao Energy Place. A plataforma permite que as negociações e fechamentos para a compra de energia sejam realizados de forma mais segura e rápida, e com maior transparência para todos os envolvidos.

Conveniência, facilidade e segurança

O Energy Place da ENGIE foi desenvolvido para melhorar a experiência dos clientes em toda a sua jornada de compra. “Queremos atender nossos consumidores de maneira integrada para os diferentes momentos de sua jornada. Da opção digital ao atendimento personalizado do nosso time de especialistas em energia, no curto ou longo prazo. A ferramenta foi pensada e ajustada para colocar à disposição do mercado o atendimento adequado em cada etapa do processo e para cada tipo de cliente”, destaca o gerente de Inteligência de Mercado e Marketing de Energia da ENGIE Brasil, Maury Garrett.

Para as gestoras e clientes da ENGIE, o Energy Place permite a visualização dos dados contratuais dos seus clientes: dados de fornecimento, unidades consumidoras, garantias financeiras, acompanhamento do consumo e comparação com o contratado. Também será possível realizar abertura de chamados com a ENGIE para interação com os especialistas da empresa para tratar de assuntos como faturamento, contrato, sazonalização e migração. E, ainda, a compra de energia para fechamento de mês.

A Volga Gestora de Energia, que atende consumidores finais e usinas, já utilizou o Energy Place para o fechamento mensal de consumidores de sua carteira de clientes. “Nossa experiência com a plataforma foi excelente. É uma opção perfeita para fazer fechamento mensal de pequenos volumes no curto prazo. Além de toda a facilidade de comprar online, selecionando o produto e adicionando ao carrinho, o registro na CCEE é feito de forma imediata e os preços estavam bem competitivos”, destaca Denise Zanatto, sócia fundadora da empresa.

Já para quem não é cliente da ENGIE, a plataforma vai propiciar a compra online de energia para fechamento de mês, bem como todo o leque de produtos desenhados especialmente para quem deseja migrar para o Mercado Livre de Energia. “São soluções que simplificam e melhoram a relação dos nossos clientes e parceiros com seus ativos de energia. A plataforma proporciona a conveniência de comprar energia sem ter que ficar ligando para as pessoas ou trocando e-mails. É simples, fácil e sem burocracia, e traz a facilidade de qualquer outro e-commerce. A ideia é que a experiência para a compra de energia seja tão fácil quanto comprar um livro em um aplicativo, por exemplo”, avalia Garrett.

Crescimento do Mercado Livre de Energia

O lançamento do Energy Place surge na esteira do crescimento do Mercado Livre de Energia no Brasil, que aumenta a cada ano e fechou 2019 com um volume de operações 6% superior ao de 2018, movimentando R$ 134 bilhões. É um segmento que já representa 30% de toda energia elétrica consumida no País, segundo dados da Associação Brasileira dos Comercializadores de Energia (Abraceel).

Somente no mês de setembro de 2020, o volume de consumidores que negociam energia no Mercado Livre cresceu 22% na comparação com o mesmo período do ano anterior. Ao final do mês, o Ambiente de Contratação Livre (ACL) contava com 8.247 agentes das classes de consumo, frente a 6.759 em 2019, de acordo com dados da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE).